Pintura em tela com esponja, você já ouviu falar?

Sabia que é possível pintar sem usar pincel?

Quando falamos sobre pintura em tela, logo vem à cabeça aquela imagem de um artista segurando sua paleta de cores, pincelando e colorindo a tela à sua frente. O pincel é realmente a ferramenta mais relacionada ao pintor, mas existem outras, também muito populares.

Aqui no site, nós já falamos sobre a espátula, que é outra ferramenta bastante utilizada na pintura em tela para a produção de alguns efeitos e texturas, leia abaixo:

 

A espátula é usada com tinta a óleo ou acrílica?

 

Já sabemos que a arte nos dá infinitas possibilidades. Na pintura não poderia ser diferente. A variedade de materiais, tipos de tinta e ferramentas é bem ampla. Hoje nós vamos explorar um pouco mais esse universo.

Pintando com esponja.

esponja-pintura-em-tela-professor-costerus

 

 

O esponjado é uma técnica muito fácil e muito boa para quem está iniciando na pintura. Ele consiste na aplicação de uma cor sobre a outra, utilizando uma esponja, produzindo um efeito manchado.

 

Pode ser usado com o pincel em diferentes trabalhos. Uma ótima ideia, é aplicar o esponjado no fundo da tela, usando o pincel para o plano principal. Isso vai criar uma textura de fundo única e expressiva. É totalmente possível, no entanto, criar pinturas usando apenas a esponja como ferramenta.

 

A inspiração para esse tipo de pintura foi a esponja marinha natural, mas uma esponja sintética pode ser usada perfeitamente, além de ser mais barata. A possibilidade de mistura de cores é infinita e você pode criar efeitos utilizando tons pastéis ou cores fortes e vibrantes.

 

Pintar com esponja permite criar diferentes texturas e volumes, brincar com as cores e, exige menos técnica do que o pincel, o que a torna um excelente material para usar com a criançada. Eu mesmo já testei e é diversão garantida!

Como fazer?

  1. escolha uma esponja flexível;
  2. dilua a tinta;
  3. molhe a esponja com um pouco de água;
  4. mergulhe levemente a face úmida da esponja na tinta;
  5. retire o excesso com um papel;
  6. aplique na superfície girando a esponja para criar marcas variadas.

 

Importante: retire o excesso sempre que mergulhar a esponja na tinta para evitar que a pintura fique borrada.

 

O esponjado é uma técnica muito simples e pode ser utilizado tanto nas telas, quanto em cerâmica, madeira, paredes e até mesmo vidro.

 

Faça o teste e depois me conte o que achou!

pintura-em-tela-esponja-professor-costerus

 

Ah, muleeek!

Ficou com alguma dúvida? Quer que eu faça um vídeo no meu canal mostrando a técnica do esponjado? Comente aqui embaixo!

Quer aprender a pintar do jeito certo? Matricule-se no meu curso Iniciando como Artista e desenvolva seu estilo na pintura! É prático, divertido e você aprende aí da sua casa!

100 anos da Semana de Arte Moderna: você conhece a história do movimento?

Neste ano, comemoramos a centésima edição da Semana de Arte Moderna, movimento que se iniciou em 1922, no Theatro Municipal de São Paulo. Mas, você sabe o que deu origem a esse evento?

Em 1922 artistas e intelectuais ocuparam o Theatro Municipal de São Paulo para discutir o modernismo, movimento de origem europeia que buscava romper os padrões artísticos que eram impostos desde o Renascimento. Eles também tinham o objetivo de trazer o modernismo para a realidade brasileira.

Artistas como Anita Malfatti e Di Cavalcanti, e os escritores Mário de Andrade e Oswald de Andrade foram figuras de destaque durante o evento, que se tornaria um dos momentos mais importantes para a produção artística brasileira do século XX.

A semana, que se seguiu entre os dias 13 e 18 de fevereiro de 1922, ficou marcada por apresentações de dança, música, poesia, exposição de pinturas e esculturas, além de palestras. 

Os artistas buscavam uma renovação social e artística no país, o que acabou chocando parte da população, pois houve um rompimento com a arte acadêmica. 

A “Semana de 22”, como ficou conhecida, contribuiu para o Movimento Modernista no Brasil. Di Cavalcanti classificou o evento como o que seria uma semana de escândalos literários e artísticos, de meter os estribos na barriga da burguesiazinha paulista”.

 

Repercussão e consequências

A manifestação recebeu muitas críticas, não só do meio artístico, mas também da população em geral, que não entendeu a nova proposta e ficou desconfortável com as apresentações. Ficou evidente que o Brasil precisaria de uma preparação para romper com os antigos padrões de arte. Assim, surgiram vários movimentos, manifestos e revistas com a intenção de divulgar a nova proposta. 

Outros acontecimentos culturais se inspiraram na Semana de Arte moderna, como o Tropicalismo e até mesmo a Bossa Nova. A pintora Tarsila do Amaral, que não participou do evento porque estava em Paris, passou a produzir arte moderna após a Semana de 22.

O impacto da primeira Semana de Arte Moderna foi enorme. O movimento redirecionou a arte brasileira e afrontou os antigos padrões estéticos e artísticos, abrindo o caminho para uma produção de arte totalmente revolucionária. 

 

semana-de-arte-moderna-costerus

100 anos de movimento

Este ano, o evento conta com comemorações em locais como a Praça das Artes, além do próprio Theatro Municipal de São Paulo. A cidade anunciou 100 dias de eventos, incluindo diversas apresentações, que já começaram no dia 22/01 e vão até 01/05.

Você pode conferir toda a programação da centésima Semana de Arte Moderna neste link.

Boas comemorações!

 

Já conhece o meu canal no Youtube? Então corre lá e confira os meus vídeos no Marco Costerus!

Quer aprender a pintar telas do jeito certo, desde o começo? Garanta sua vaga no meu curso Iniciando como Artista, lá eu te mostro como pintar lindos quadros sem sair da sua casa!

3 Benefícios da pintura para a Saúde Mental

“Eu não sei o que a pintura me ensinou. Eu sei que ela me libertou.”

Jim Carrey, ator canadense sobre como a pintura o ajudou a sair de uma depressão.

 

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? 

 

Muitos de nós estamos sempre na correria e não temos tempo de cuidar da própria saúde. Outros sofrem do oposto: falta de atividade, solidão e desânimo. Por isso, hoje eu estou aqui para falar de um assunto muito importante: a nossa saúde mental.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, antes da pandemia já existiam 19 milhões de brasileiros com ansiedade e depressão. Como já é de se imaginar, esses números aumentaram ainda mais nos últimos anos.

Estima-se que uma em cada cinco pessoas vai passar por algum episódio de depressão em algum momento da sua vida, o que torna muito importante a discussão sobre esse assunto.

Professor, o que isso tem a ver com pintura?

Muito! Tem tudo a ver!

Uma revista científica internacional chamada Journal of Epidemiology and Community Health publicou um estudo mostrando que fazer ou consumir arte está fortemente ligado à boa saúde e diminuição da ansiedade e depressão em ambos os sexos. Então, o que eu quero explicar hoje são os benefícios da pintura para a saúde mental, afinal, as pinturas não servem apenas para enfeitar ambientes, elas são expressões da alma, sentimentos e emoções que os artistas projetam na tela.

 

1. Melhora a concentração.

Afinal, quando estamos pintando, precisamos focar ao máximo naquilo que estamos tentando transmitir para a tela, o que ajuda a tirar os problemas da cabeça. Quando se torna um hábito, a pintura nos ajuda a identificar as nossas emoções e a controlar os nossos pensamentos. 

 

2. Prazer, alívio e satisfação consigo mesmo.

Imagine que você está pintando sua tela e, por um instante, para para analisar o seu trabalho. Ali, você nota que a pintura está tomando forma e então, você sente orgulho de si mesmo. Esse sentimento é bastante comum e tem a ver com o sistema de recompensas do nosso cérebro. Ao perceber que realizamos algo legal, esse sistema é ativado, fazendo com que a gente sinta sensações muito boas de prazer, alívio e satisfação. 

 

3. Estimula a comunicação e a criatividade. 

Nem sempre conseguimos usar as palavras para expressar o que estamos sentindo, por isso a pintura é uma ótima alternativa para comunicar ao mundo sobre os nossos sentimentos. Pintar impulsiona a expressão das emoções de forma criativa e é indicado como tratamento terapêutico por muitos profissionais.

 

O ator Jim Carrey descobriu na pintura uma alternativa para ajudá-lo a sair de uma depressão. Ele até produziu um documentário chamado Jim Carrey: I Needed Color (Jim Carrey: Eu Precisava de Cor) onde ele mostra como a pintura o ajudou a ver cores novamente em sua vida.

E você? Quer saber um pouco mais sobre pintura em tela? Conheça o meu canal no Youtube Marco Costerus.

Se você quer aprender a pintar telas diretamente da sua casa, acesse o meu curso Iniciando como Artista e você vai aprender por onde começar o seu quadro e perderá o medo ou a vergonha de pintar. 

Gostou desse artigo? Deixe um comentário abaixo dizendo o que você achou e eu terei o maior prazer em responder.

A espátula é usada com tinta a óleo ou acrílica?

A verdade é que você pode usar as duas. Existem, porém, algumas recomendações importantes para cada tipo de tinta. 

 

Olá pessoal, vocês estão bem?

Hoje vamos tirar uma dúvida muito comum pra quem está iniciando na pintura em tela: qual tinta eu utilizo se quiser pintar com a espátula, a óleo ou acrílica ?

Pensando nisso, eu resolvi falar um pouquinho mais sobre a pintura espatulada e claro, quais as diferenças entre o uso dela com a tinta acrílica e a óleo. Vamos lá?

A principal característica da espátula é que ela consegue produzir marcas mais rígidas do que o pincel, criando muitos efeitos, volumes e texturas e deixando a imagem muito rica em expressão. 

As espátulas são mais conhecidas em dois materiais: metal e plástico. Sendo o metal mais adequado para artistas que já possuem certa experiência na pintura e, o plástico, mais indicado para quem está começando e quer aprender a usar a espátula. No entanto, você também vai encontrar espátulas em espuma. 

Em relação às tintas, a óleo é mais consistente, mais grossa, enquanto o acrílico, por ser a base d’água, é uma tinta bem mais leve, com menos consistência. Ou seja, a característica mais firme da tinta a óleo a torna mais fácil de ser trabalhada, já a acrílica vai exigir mais leveza ao manusear a espátula.

O material também é importante e, no caso da tinta acrílica, é recomendado que se use espátula de plástico ou de espuma

Basicamente é isto, a tinta a óleo é mais recomendada para o uso da espátula, mas desde que você tenha leveza no manuseio e use a ferramenta correta, você também pode pintar com a acrílica.

Eu fiz um vídeo bem curtinho no meu canal explicando sobre o uso da espátula com tinta acrílica. Você pode conferir aqui:

Posso pintar em acrílico com espátula?

 

pintura-em-tela-costerus-espátula

Ah muleeek! Por hoje é isso, mas se você ficou com alguma dúvida, deixe seu comentário aqui embaixo! Eu vou ter o maior prazer em responder.

Já conhece o meu curso Iniciando como Artista? Então garanta sua vaga porque lá eu ensino as técnicas necessárias para iniciar na pintura em tela. Você vai aprender a pintar um lindo quadro, sem sair da sua casa!

 

O que passar na tela antes de pintar?

Mas eu preciso passar algo? Por que não posso pintar direto na tela branca?

 

Oi pessoal, tudo bom com vocês? 

 

Hoje eu vou explicar pra vocês como se faz o processo de imprimatura, ou como a gente diz, “queimar a tela” antes de pintar. É bem simples, e você vai ter um resultado muito melhor com a sua pintura.

 

Quando eu comecei a pintar, lá atrás, eu nem sabia que eu tinha que fazer essa preparação, então eu comecei pintando direto na tela branca. Mais tarde, quando eu descobri a imprimatura, minhas pinturas melhoraram muito.

 

É por isso que eu quero que você entenda o que é essa preparação e que você aprenda como fazê-la.

 

Mas, professor, por que eu não posso pintar direto na tela branca?

 

Bom, você até pode. Como eu disse, eu mesmo comecei fazendo isso. Mas, se você tentar pintar o céu, por exemplo, a tela branca vai deixar o azul muito vibrante, e você vai ter que fazer misturas que nem precisava fazer.

 

Eu digo que quando você pinta sobre a tela branca, a pintura está te dominando e não você que está dominando a pintura. E você tem que mostrar quem é que manda, né? 

 

Ah muleeek! 

 

Agora eu vou te mostrar como fazer essa imprimatura ou “queimar a tela”, pra você mandar na sua pintura!

 

Você vai precisar da tela branca, um pincel chato de cerda (feito de pêlo de porco) e tinta acrílica branco titânio com terra siena natural, porque nós precisamos de uma cor neutra.

 

Nós vamos então, usar um recipiente para misturar a tinta branca com a terra siena natural e a água.

 

Aqui no meu canal você encontra um vídeo que eu fiz explicando as proporções dessa mistura. É bem simples, e você vai usar pouca tinta. Mas dê uma olhadinha no vídeo abaixo, onde eu mostro as medidas:

 

Como fazer imprimatura/queimar a tela

 

Essa mistura precisa ficar bastante líquida, senão a tinta vai ficar muito forte, criando uma película plástica. Aí, quando você for pintar, a tinta não vai fixar na tela da forma como deveria.

 

Depois é só usar o pincel para espalhar a mistura na sua tela e esperar secar. Veja a diferença na imagem abaixo. 

 

É isso aí pessoal, sua tela estará pronta e você é quem vai dominar sua pintura.

 

pintura-em-tela-professor-costerus

Ah, muleeek! Quer aprender as técnicas para se tornar um grande artista? No curso Iniciando como Artista você vai aprender a pintar lindas telas e irá impressionar a todo mundo com suas obras! Clique aqui, se inscreva no curso e aprenda a pintar direto da sua casa!

Já conhece o meu e-book? Nele você vai encontrar uma lista de materiais importantes para iniciar na pintura. Clique nesse link e baixe o e-book gratuitamente!

 

Quem é o Professor Costerus?

Sou eu! Ahhh mulek! 😜

Brincadeiras à parte, eu estou aqui para te contar melhor quem sou eu, como eu entrei para o mundo das artes plásticas e o motivo pelo qual eu amo ensinar a pintar.

Meu nome é Marco Costerus e desde a época do colégio eu gostava muito das aulas de artes e fazer algumas esculturas com retalhos de panos velhos. 

Eu comecei a dar as primeiras pinceladas com 15 anos, mas não tinha noção nenhuma de pintura e gostava muito de imitar desenhos e colorir com lápis de cor e giz de cera.

Eu sempre fui louco por cores e tudo eu coloria. Às vezes eu até levava bronca dos professores, pois na hora que eles estavam explicando a matéria da aula, eu estava colorindo o caderno

A minha grande inspiração foi o mestre Arlindo Mesquita. Na época que eu descobri suas obras, ele morava no Rio de Janeiro e eu não o conhecia pessoalmente, mas já tinha uma grande admiração por suas lindas telas

No começo eu tive muitos desafios, principalmente financeiros, pois os materiais eram muito caros e muitos familiares não levavam a sério o meu interesse pela pintura em tela, achando que era só uma fase! Naquela época, pensei muito em desistir

Quando iniciamos alguma atividade, recebemos muitas críticas sobre como estamos fazendo, sobre não estar bom o suficiente e muitas outras críticas. Isso é normal em todas as áreas e em tudo o que fazemos na nossa vida

Eu fico feliz de não ter desistido, pois tudo isso me trouxe muitas experiências que eu vivi pelo mundo para adquirir mais conhecimento e poder ensinar as pessoas a exercer essa atividade tão linda que é a pintura em tela. 

Em  1974 eu viajei para Londres e fiquei 1 ano e 8 meses estudando pintura, mas antes eu parei em Paris e fiquei um tempo lá para conhecer a cidade e aproveitar a linda paisagem para pintar pelas ruas. Um dos locais que eu pintava era Place du Tertre, localizada no distrito de Montmartre e fica situada no ponto mais alto de Paris

pintura-em-tela-costerus-blog-prof-costerus-Place-du-Tertre

 

No entanto, estava eu pintando na Place du Tertre quando acabou o meu material e eu fui em procura de opções para continuar o meu trabalho. Me indicaram uma loja que parecia um calabouço de um castelo. Entrei, pedi tintas e telas e o vendedor me perguntou se eu era estudante ou profissional

Naquele momento eu não sabia o que responder, pois era muito novo para me considerar um profissional, então pedi uma tela de cada. Quando ele chegou com as telas, uma delas era lisa em algodão e a outra era em juta. Então, eu deduzi que aquela em juta era a tela profissional, até porque eu nunca tinha pintado em uma tela destas. No fim, eu fui embora com as duas telas e pratiquei a pintura com uma tela que eu nunca tinha tido contato antes. Foi muito legal a experiência.

Já na Inglaterra, enquanto eu fazia um curso, o professor nos levava ao National Gallery, um museu muito famoso que fica localizado na Trafalgar Square, em Westminster, no centro de Londres. No local, o professor apontava para um quadro e dizia para os alunos copiá-lo. Mas o interessante é que ele não nos mandava copiar a obra inteira, cada aluno ficava responsável por algum detalhe ou parte do quadro que deveria estudar e replicar. 

Em um determinado dia, ele nos levou lá e mostrou um quadro bem claro, que era uma paisagem de uma obra de John Constable, um artista muito famoso e um dos pioneiros na percepção e estudo da mudança destas condições atmosféricas na arte. 

Quando eu vi o quadro, pensei comigo mesmo que seria moleza, era uma paisagem com bastante céu e montanha e um campo embaixo. De repente o professor falou que nós não poderíamos usar a cor branca e retirou o nosso branco. Ahh, mulek! Todos os alunos tiveram que pintar sem o branco. Foi difícil, viu? Mas esse desafio foi um grande aprendizado e eu adquiri muito conhecimento e experiência com tudo isso.

Em Trafalgar Squaremuitos artistas que ficam pela rua desenhando e pintando, então quando eu vi aquilo, eu pensei que também queria fazer aquilo. Por isso, fiquei pela região pintando em cartões pois eram mais fáceis de vender, por serem mais baratos que as telas. Foi aí que eu comecei a pintar sobre cartões e foi muito top

Eu comecei a vender esses cartões e receber muitas encomendas, de retratos, casas, paisagens, então foi muito legal. Eu me lembro, inclusive, de um casal inglês que me trouxe a fotografia de um sítio que eles tinham nascido, eu achei muito lindo e emocionante. Eu pintei, levei na casa deles e fui muito bem recebido.

 

pintura-em-tela-costerus-blog-prof-costerus-trafalgar-square

 

Mas hoje eu sou 100% feliz de ter dado os primeiros passos e de nunca ter desistido, pois pintar me faz feliz e realizado! E sentir isso é muito importante, é o que nos move, é o que nos traz vida, felicidade e motivação.

Hoje em dia eu falo que a pintura não é só o que eu vejo, meu pensamentos são coloridos!

Quando eu converso com alguém eu estou vendo cores, quando eu estou ouvindo uma música, vejo cores! Exercer a arte da pintura em tela é isso! É cor para nossos pensamentos e para nossos sentimentos! Tudo se transforma em cores!

E além de pintar, ensinar é algo que realmente me completa! Eu tive grandes mestres durante minha trajetória, como já mencionei o Arlindo Mesquita, e por isso eu sei a importância de ter alguém que, além de ministrar as técnicas, nos inspire e nos ajude a alcançar nossos objetivos!

pintura-em-tela-costerus-blog-galeria-tintas-professor-quem-e

 

Por isso, eu te convido para conhecer os meus cursos! Eu sou professor há mais de 30 anos, tive centenas de alunos, de todas as idades, que chegaram aqui sem saber nada sobre pintura em tela e hoje dominam todas as técnicas

Eu acreditei em mim, eu acreditei nos meus alunos e eu acredito em você!

Quer conhecer meus cursos? Então clica aqui

Se você tiver qualquer dúvida, pode deixar um comentário aqui embaixo que eu vou te responder!